fbpx
189 vistas

Evento da equipa Qbis 2020 na Holanda

189 vistas
Evento da equipa Qbis 2020 na Holanda

Desde o início da Qbis recrutadores da Qbis visitam a Holanda para obterem mais informações sobre o país, as pessoas, e o ambiente que as pessoas que vão viver e trabalhar na Holanda vão encontrar.

Como qualquer pessoa que tenha vivido e trabalhado no estrangeiro irá entender, ir trabalhar para fora é um grande passo na vida, e como se pode oferecer a informação certa a quem procura emprego sem entender totalmente a situação? Embora a equipa da Qbis esteja em crescimento e organizar tal evento para todos os colegas tem-se tornado um desafio mais significativo, temos o prazer de ter conseguido, e todos os colegas puderam ir para a Holanda. Não só para juntar mais informações para informar melhor quem procura emprego, mas também para entender quais os planos da Qbis, conhecerem-se uns aos outros e claro, divertirem-se!

O que foi realmente fascinante e empolgante de ver como CEO da Qbis foi que, apesar de a maior parte das pessoas não se conhecer antes e de metade da equipa ter começado a trabalhar apenas nos últimos meses, desde o início do evento que a equipa se mistura bem e parece uma grande família. A equipa Qbis é uma equipa que tem a mesma atitude em relação ao recrutamento e à vida em geral. Uma equipa que vê mais além que a própria vida. Sim, esta foi uma viagem entusiasmante.

Visitar agências de emprego na Holanda com as quais a Qbis trabalha

A Qbis trabalha com diferentes agências de emprego temporário na Holanda que estão localizadas também em diferentes locais na Holanda. Apesar de a Holanda ser um país pequeno, é mesmo assim impossível visitar mais agências diferentes em um dia e que todos os colegas vejam todos os clientes. Uma maneira de a Qbis organizar isso é separando toda a equipa em 25 pessoas até 5 grupos. Cada 5 pessoas têm 1 recrutador de cada país presente, nomeadamente:

  1. Um recrutador da Lituânia
  2. Um recrutador da Letónia do escritório de Riga ou Daugavpils
  3. Um recrutador da Eslováquia / Hungria uma vez que esta é uma só equipa no momento
  4. Um recrutador da Roménia e
  5. Um recrutador de Portugal do Porto ou Lisboa.

Devido a diferentes horários de vôo, algumas equipas conseguiram visitar mais clientes durante esta visita, mas a maioria das equipas conseguiu passar pelo menos metade de um dia de trabalho com o cliente.

Especialmente para os colegas que nunca estiveram na Holanda, visitar uma agência de emprego na Holanda ajudou a abir os olhos. Colegas que já tinham estado na Holanda visitaram agências de emprego onde não tinham estado para que todos conseguissem o maior número de impressões possível. Ideias que podem mais tarde ser partilhadas com pessoas que procuram um emprego na Holanda.

É óptimo ver o tipo de vibrações positivas em torno deste tipo de visita. Uma vez que existe uma relação a longo prazo com a maioria das agências, as pessoas de contacto estão entusiasmadas por conhecerem as pessoas que estão por trás de uma empresa e ver finalmente as caras por trás da Qbis e da agência.

As agências de emprego tratam das pessoas que chegam à Holanda e informam assim a Qbis sobre o que as pessoas podem esperar da agência de emprego assim que chegam à Holanda:

  • Como as pessoas são recebidas na agência;
  • Quando e como o seu contrato de emprego é assinado;
  • A introdução à nova empresa onde as pessoas vão trabalhar;
  • Quem é a sua pessoa de contacto em caso de dúvidas ou emergâncias;
  • Como ir e voltar do trabalho (tanto de bicicleta como de carro);
  • Onde vão morar na Holanda.

Além disso, durante esta visita colegas de diferentes países partilham os seus pensamentos e experiências com as agências e vice-versa. Isto é para ter uma melhor ideia de que tipo de pessoas se adequa melhor à agência. Juntar as pessoas certas à agência e empresa certas continua a ser um grande desafio, mas quanto mais nos entendermos uns aos outros, melhor a Qbis pode ajudar as pessoas a ligarem as suas necessidades às necessidades das agências. É preciso muita experiência para saber, por exemplo, que nacionalidade se adequa melhor a que agência e onde casais que querem viver e trabalhar juntos se encaixam melhor. É uma das vantagens significativas para quem procura emprego de conseguir emprego com a Qbis, a grande variedade de agências com quem trabalhamos aumenta a probabilidade de encontrar o lugar certo para quem procura emprego.

Juntamente com a nossa pessoa de contacto da agência de emprego, cada equipa foi visitar pelo menos um cliente para onde as pessoas vão trabalhar.

Conhecer o ambiente de trabalho dos funcionários que trabalham na Holanda

Na minha opinião, as pessoas escolhem não só um emprego no estrangeiro, mas querem um pacote em outro lugar que melhore a sua vida. Um pacote que consiste em:

  • Uma agência intermediária como a Qbis que ajuda as pessoas a serem introduzidas a tudo relacionado com trabalhar na Holanda;
  • Uma agência de emprego na Holanda que possa oferecer as condições que a pessoa procura;
  • Um alojamento incluindo onde e com quem irá morar;
  • Um emprego que esteja de acordo com as habilidades, qualificações, e necessidades da pessoa.

Apesar de não ser apenas o emprego que as pessoas estão à procura, é essencial para as pessoas saberem quais as condições de trabalho do emprego que irão ter na Holanda e perceber se o emprego se adequa às suas habilidades, qualificações, e necessidades.

Cada equipa visitou pelo menos 1 empresa para que cada país juntasse informações sobre o que exactamente espera as pessoas no local de trabalho. Eu fui visitar o centro logístico Hollander. Uma vez que eu próprio trabalhei como seleccionador de pedidos durante os meus estudos, eu entendo muito bem como os centros logísticos estão organizados na Holanda e na verdade durante os meus estudos eu já estive neste armazém específico. Mas a maioria dos colegas não passaram muito tempo em centros logísticos, e por isso é vantajoso ver como eles, e especificamente o Hollander, estão organizados.

O que aprendemos durante esta visita ao Hollander, por exemplo, foi que:

  • Você precisa estar disposto a trabalhar em um ambiente frio, o que pode ser um problema para algum dos colegas, por ex. que sejam mais sensíveis ao frio;
  • Você precisa estar disposto a trabalhar por turnos, uma semana no turno da manhã, e na semana seguinte no turno da tarde. A mudança permite que você receba bastante dinheiro uma vez que trabalhar mais horas ou de noite é pago extra;
  • A maioria das pessoas que trabalham no Hollander vivem em apartamentos de 4 pessoas perto do Hollander;
  • O Hollander oferece na sua cantina fruta, café, e chá gratuitamente e frequentemente também almoço gratuito quando os seus produtos se aproximam do prazo de validade;
  • Qualquer nacionalidade é bem-vinda no Hollander;
  • O Hollander é mesmo ENORME.

Além de muita informação, o Hollander deu à nossa equipa uma impressão que não nos poderia ter sido dada por palavras ou vídeos. No nosso caso, nós visitámos o Hollander, mas uma vez que eram 5 equipas no total, toda a equipa conseguiu muito mais impressões de empresas que foram visitadas. Todos os relatórios das visitas, acompanhados de imagens, foram mais tarde partilhados entre todos os colegas para que quem procura emprego possa estar mais bem informado.

Depois de visitarem empresas na Holanda, todas as equipas foram visitar vários alojamentos orientados pelas agências de emprego.

Onde vivem os funcionários internacionais na Holanda

Na minha opinião, o aspecto mais importante que influencia a sua vida quando vai trabalhar e viver na Holanda é o alojamento. Ter um excelente emprego é uma grande vantagem, mas no final do dia, é provável que não passe mais de 40 horas por semana a trabalhar. Uma parte muito mais significativa de onde passa o seu tempo na Holanda é o alojamento. A qualidade do alojamento, em combinação com as pessoas que vivem na mesma casa, define uma grande parte da sua qualidade de vida durante, pelo menos, o seu primeiro período na Holanda.

O tipo de alojamento para onde as pessoas vão morar depende da agência, e do emprego das pessoas. Para mais informações, você pode ler no blog o artigo que eu escrevi sobre ‘alojamento na Holanda.’

Na verdade, do feedback que recebi dos nossos colegas, a maioria dos colegas ficou positivamente surpreendida pelo alojamento que era fornecido aos funcionários estrangeiros pelas agências de emprego temporário na Holanda. É bastante lógico mas um pouco triste que o feedback que os colegas recebem dos funcionários que vão trabalhar na Holanda crie uma visão não realista da situação do alojamento. Infelizmente, a maioria do feedback recebido das pessoas é ligeiramente negativo, lógico uma vez que as pessoas pedem ajuda aos recrutadores em alguns casos, mas a situação real média parece ser um pouco melhor. A maioria das pessoas está mais ou menos satisfeita com o seu alojamento, e por isso os recrutadores não recebem feedback sobre alojamentos razoáveis.

Na minha opinião, a qualidade do alojamento depende mais das pessoas com quem você mora, e infelizmente, isto é algo que você não pode totalmente controlar. Quanto mais mudanças se fizerem a uma casa, mais confuso se torna. Apesar de as agências investirem muita energia e dinheiro a deixar as casas nas melhores condições, pelo menos de acordo com os padrões de qualidade da SNF, em alguns casos a qualidade baixa muito depressa.

As casas que eu visitei eram acolhedoras, e com boas condições, eu diria. Eu poderia viver confortavelmente em uma dessas casas, tendo aliás morado em casas muito piores. Foi óptimo ver que as pessoas que moram na casa reconheceram os nossos colegas de Portugal e partilharam o que pensam sobre as condições de trabalho e de vida na Holanda. Ver as pessoas encontrarem o seu lugar na Holanda e darem feedback positivo em relação à Qbis é o motivo por que fazemos isto; pelo menos para mim, fez o meu dia.

Qbis a mostrar à equipa os seus futuros planos

Com toda a equipa junta na Holanda, na qual muitas pessoas são novas, e com tantas mudanças a acontecer na empresa – um novo site, novo logótipo, novos escritórios, novos países dos quais operamos, novos clientes na Holanda – é uma excelente oportunidade para apresentar à equipa da Qbis quais são os planos da Qbis. É o momento certo para fazer uma breve apresentação sobre onde estamos hoje e o que queremos fazer no futuro.

Um pequeno resumo: Durante 2019 a Qbis ajudou 2013 pessoas a começarem as suas vidas e conseguirem emprego na Holanda. Em 2020 este número vai aumentar bastante até 3.500 pessoas. No total 25 pessoas trabalham hoje na Qbis de 9 países diferentes. Nós lançámos agora um site Húngaro (www.qbisjobs.hu) e estamos prestes a iniciar a versão Russa do site da Letónia (www.qbis.lv/ru) uma vez que muitas pessoas da Letónia falam Russo e nós queremos servir a todos os que procuram emprego na língua que lhes é mais familiar. Afinal, como se pode dar um passo tão grande na vida indo trabalhar no estrangeiro, sem entender tudo o que é dito?

Mas que outros passos organizacionais irá a Qbis tomar para aumentar o número de pessoas recrutadas para 3.500? Para alcançar isso, nós trabalhámos bastante em 2019 para melhorar a jornada do cliente e oferecer o serviço que quem procura emprego está à espera. O negócio da Qbis é todo sobre deixar as pessoas satisfeitas na sua procura de emprego e começar uma vida no estrangeiro. O NPS (net promoter score), que mede a satisfação dos funcionários, é um dos KPIs mais críticos para a Qbis ver se estamos no caminho certo. Quanto mais satisfeito estiver quem procura emprego, e eventualmente, os funcionários na Holanda, melhores serão os resultados para a Qbis. Claro, vão sempre existir coisas a melhorar no serviço da Qbis, mas o NPS é uma óptima maneira de medir para saber de que ângulo se podem fazer melhorias.

Workshop de valor

Mas quais são mesmo os valores da Qbis e o que defendemos? Esta é uma questão que tem estado às voltas nas nossas cabeças nos últimos meses. Os valores da empresa devem vir de dentro e devem ser mais do que apenas palavras. Ter colegas juntos na Holanda deu excelentes oportunidades para a Qbis reflectir juntamente com todos os colegas sobre quais os valores da Qbis.

As equipas foram divididas em grupos por país, com cada país tendo que encontrar os três valores mais importantes para o seu país e apresentá-los ao resto da equipa. O que é óptimo ver é que, apesar das diferenças culturais entre os diferentes países e de muitos dos colegas nunca se terem conhecido, todas as equipas chegaram a valores semelhantes. A maioria dos valores a que as equipas chegaram resumiram-se em dois valores centrais para a equipa Qbis:

  1. Honestidade
  2. Suporte

Membros de equipa de diferentes países chegarem aos mesmos valores significa que existe uma selecção natural de novos membros da equipa Qbis que sentem e vivem os valores da Qbis. Olhando para esses valores, tenho a dizer que tenho muito orgulho do que nos tornámos. Vejamos o primeiro valor a que chegámos.

Valor 1 da equipa Qbis: Honestidade

A Qbis tem feito sempre o seu melhor em manter-se aberta e honesta com quem procura emprego e com clientes Holandeses. Nós tentamos não ‘vender’ os empregos que são oferecidos na Holanda, mas criar uma situação realista que as pessoas podem esperar. Este é um dos motivos por que a Qbis, desde o início em 2007, nunca cobrou às pessoas para terem um emprego na Holanda. Cobrar às pessoas significa que é preciso vender a situação a quem procura emprego. Não! A ideia da Qbis é que as pessoas encontrem o seu lugar certo na Holanda; isto só é possível sendo totalmente transparentes e honestos. O modelo de negócio geral da Qbis está desenhado com base nesta filosofia. Então manter a honestidade é um dos valores em que acreditamos fortemente e o que irá estar por trás de toda a equipa da Qbis nas nossas actividades diárias. Não só na comunicação com quem procura emprego mas também no contacto com os nossos fornecedores, clientes, e colegas. Honestos, nós somos!

Valor 2 da equipa Qbis: Suporte

O segundo valor a que a nossa equipa chegou foi suporte. O suporte esteve lado a lado no nosso workshop. Em cada parte do processo de recrutamento, a Qbis tenta oferecer todo o suporte possível para informar os candidatos da melhor forma. Isso cria uma ligação pessoal segura entre quem procura emprego e o recrutador, algo que em Qbis se tenta realçar em comparação com outras agências de recrutamento. O facto de mantermos o contacto assim que as pessoas chegam à Holanda diz o suficiente sobre o nosso suporte. Embora a nossa função primária, que é juntar quem procura emprego a empresas na Holanda, esteja terminada, para nós as pessoas devem terminar felizes e obter suporte suficiente. Mais uma vez, quando se vai trabalhar e viver para outro país, é essencial ter o apoio de alguém que fale a mesma língua e entenda pelo que se está a passar

Quiz Qbis

Em parte educacional para os colegas e ao mesmo tempo divertido, eu organizei um quiz Qbis com 30 questões, relacionadas com o site, recrutamento, e colegas. Este quiz Qbis deu a todos muito mais esclarecimentos sobre o processo de recrutamento, o que fazemos, e de onde viémos. Conheceram-se melhor uns aos outros também. E a nossa equipa mais nova, a Qbis Eslováquia/Hungria, venceu o quiz!

Alguns exemplos de questões. Nós trabalhamos de um total de 9 cidades diariamente. Nós temos bastantes ex-pats na nossa equipa que sabem bem pelo que está a passar quando vai trabalhar para o estrangeiro (incluindo eu). As pessoas tendem frequentemente a esquecer que é uma enorme mudança de vida ir viver para outro país. Na verdade, todos na gestão da Qbis são ex-pats ou já viveram no estrangeiro no passado.

Sabor da cultura Holandesa

Talvez o destaque para alguns colegas tenha sido saborear um pouco da cultura Holandesa. Depois de passarem o dia todo a pensar na Qbis, recrutamento, e clientes, foi altura de passar algum tempo livre Holandês também.

Do hotel onde ficámos, alugámos bicicletas e fomos até ao centro da cidade de Nijmegen. Como muitas das pessoas que vão trabalhar para a Holanda vão e voltam do trabalho de bicicleta, foi óptimo experienciarmos o mesmo. Esta viagem de 10 minutos foi muito divertida e muito mais confortável do que seria de esperar vindo de outro país. Como a infraestrutura está muito bem organizada, as estradas são novas e planas, é certamente a maneira mais confortável de se deslocar na Holanda. Não é por acaso que o resto dos colegas que foram de carro até ao centro da cidade chegaram mais tarde que os que foram de bicicleta. Onde estacionar a bicicleta, junto de outras 100, e como prender a bicicleta (os Holandeses parecem usar cadeados diferentes do resto da Europa) foram outros desafios que tivemos de superar, mas todos nos desenrascámos bem.

O que eu notei foi que os Holandeses fingem viver no Mediterrâneo quando saem. A maioria das pessoas parece gostar da vida ao ar livre e sentam-se no exterior, mesmo quando estão apenas 5 graus Celsius.

Como os Holandeses gostam de sair:

  • Tomar um pequeno café;
  • Juntar o máximo de pessoas possível;
  • Garantir que mais ninguém se consegue sentar;
  • Garantir que há pessoas suficientes para que realmente não consiga passar para ir à casa de banho;
  • Tocar música alta para não ocorrerem muitas conversas sérias;
  • Garantir que a cerveja sai da torneira a uma velocidade que dê para servir o maior número de pessoas possível em um minuto.

E eu tenho a dizer que realmente funciona. Colegas de diferentes países cantaram juntos, beberam juntos, e juntaram-se à dança.

Então você pode ver que, desde que tenha a mentalidade e espírito certos, não importa de onde vem ou onde está para passar um óptimo tempo junto dos outros!

É claro, depois de sairmos, estava a chover. Conseguir um táxi foi difícil para quem foi de carro porque os serviços estavam cheios mas não foi um problema para quem foi de bicicleta. Apesar de pedalarmos à chuva, voltámos ao hotel com grandes sorrisos nas nossas caras.

Obrigado, equipa Qbis, por terem tanto interesse em tudo o que está a acontecer na Holanda e pelos óptimos momentos que passámos juntos!

25.02.2020

Podría ser considerado para trabajar en el extranjero?

  • Está fisicamente sano.
  • Es motivado.
  • Está motivado para trabajar y vivir  con personas de países diferentes.
  • Está motivado para ganar por lo menos 1750 euros por mes.

Por último, Qbis puede ayudarle a encontrar un trabajo en el extranjero

Consiga una oferta de trabajo

Solicitar más información acerca de trabajar en el extranjero

Obtener información personalizada por parte de Qbis.